quarta-feira, 12 de março de 2014

o disco ótimo com a Maitê na capa

No post anterior, sobre o Rick Astley, eu perguntei se "Hold me in your arms" fazia parte da trilha sonora internacional de "Vale Tudo" (juro que na minha cabeça era). Caro Clênio veio informar que a música era, na verdade e nas palavras dele, "daquele LP ótimo que tinha a Maitê Proença na capa."

Eu não lembro mesmo da música do Astley na novela (até porque, verdade seja dita, eu não assistia essa novela -- nessa época tava na rua brincando, com certeza. E a novela era um saco, eu acho). Mas lembro do LP e concordo totalmente com as palavras do Clênio (e tenho certeza que todo mundo da época concorda). Tava dando uma olhada na lista das músicas nele e eu adorava quase todas elas.

Você vê como nem tudo muda pra pior. Sim, as novelas estão muito mais fracas, as trilhas sonoras são medonhas e tal. Mas Deus abençoe todos os responsáveis pelo fato de que hoje em dia se der vontade de ouvir uma música que você ama você não leva dois segundos pra achar. Naquela época tinha que quase rezar pra tocar na rádio, torcer pra cair na trilha de alguma novela, gravar num K7 chechelento ou ser bonzinho o ano inteiro pra conseguir que alguém te desse o disco.

Eram outros tempos, já um pouco distantes. Era difícil ouvir a música que você queria, mas também era um prazer sem fim quando você conseguia. É tão passado que não só novela tinha uma outra significação e importância (e capricho de quem fazia) que até os LPs de novela eram um big deal: a gente esperava pra saber quem vinha nas capas, saía sempre o nacional primeiro, depois o internacional, tinha trilha que era tudo na vida ("A Gata Comeu" Internacional, por exemplo), tinha as rainhas de capa (Malu Mader, Claudia Raia, a própria Maitê), tinha até novela que só tinha trilha nacional, porque era mais coerente à trama (como os dois LPs de "Tieta", que eu amava). Era divertido, e muita gente que eu conheço não só tem ainda muitos desses discos, como são verdadeiros experts no assunto (alô, Paraíso!).

Na época desse "LP com a Maitê na capa", eu tinha 11 anos. Lembro nitidamente que eu adoraaava ficar fuçando nas pilhas de discos nas Lojas Americanas e sempre, sempre tinha alguém pra me confundir com vendedor (porque eu era alto e porque tava sempre com uma camisa vermelha, rs...). Quando esse disco saiu, saiu também outra belezura do gênero, o internacional de "Que Rei Sou Eu?". E saiu também o "4o Xou da Xuxa". Quando era criança, presente na minha casa tinha data certa, e disco era só no natal (devo muito da minha noção a esses limites, provavelmente financeiros). Mas não lembro exatamente por que milagre de Deus, naquele meio do ano de 1989 eu ia ganhar não um, mas dois discos. Saí de casa com a missão de voltar com os LPs das duas novelas, mas nunca que eu ia voltar sem meu "4o Xou da Xuxa", ainda mais o meu favorito, hehehe, não, de jeito nenhum. De forma que meu grande desespero desafio foi escolher UM dos dois discos das novelas. Venceu "Que Rei Sou Eu?", que tinha a Giulia Gam na capa (Maitê tava no auge da sua lindeza, mas eu tava na puberdade e era absolutamente, completamente, inteiramente louco pela Giulia Gam -- quase morri quando descobri que aquela cabeleira ruiva era peruca). Enfim, voltei sem o disco da Maitê pra casa, tomei uns torrinhas das minhas irmãs, mas por uma semana fui super popular na escola com meu disquinho da Xuxa. E o melhor é que agora posso ouvir todas as músicas desses três discos e qualquer outro assim que eu quiser (que o diga "One Moment un Time", rs).

Vou fechar este post com uma que eu adoro, adoro e que não lembrava que fazia parte da trilha internacional de "O Salvador da Pátria". Aí abaixo, enjoy it!

Abrazos pra vocês, vida longa à boa música e à boa tecnologia. E às boas memórias, claro. :-)
)

 P.S.: Sobre o Rick Astley, descobri que aposentou, com seis anos de carreira, em 1993, pra constituir família. Quase senti inveja. Também soube, pelo caro Reginaldo, que Rick vem ao Brasil em breve, numa daquelas famosas turnês de ídolos falecidos dos Anos 80. Quem anima?


5 comentários:

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Interessante... No Feedly a capa que vem é do Phil Collins. Muuuuuito mais meu número!

Mas esse acesso limitado a LPs fazia a gente curtir bem mais, né? Decorar as letras todas e não pular pro próximo lançamento ou vazamento na semana seguinte.

Clenio disse...

Oba, fui citado no teu blog hehehe

Eu adorava discos de novela, tanto que tenho quase todos lançados entre 1986 e 1990 - e alguns posteriores. "O salvador da pátria" era um saco, mas a trilha sonora era sensacional. Também tenho o disco de "Que rei sou eu?" - adorava o dueto de Freddie Mercury e Montserrat Caballé... sou louco?

E é lógico que perdi as contas de ficar esperando tocar no rádio as músicas que eu gostava - até comprar os discos e "furá-los" de tanto ouvir. E tive a sorte de começar a trabalhar com 13 anos e não depender de ninguém pra comprar os discos que queria.

Abraços
Clênio
www.lennysmind.blogspot.com
www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

PS - A Giulia Gam é uma baita atriz, ai de quem duvidar. Mas a Maitê é uma das mulheres mais lindas do mundo.

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Ah, tá explicado... Vejo agora, pelo computador, que o Feedly do celular não traz o vídeo da Two Hearts. Mas mostra a imagem da capa dela como imagem do post.

Janaína Souza disse...

Nossa... me lembro muito dessa novela. Tanto no horário nobre quanto no "Vale a pena ver de novo", época em que eu era uma pobre criança inocente cuja única preocupação era atingir os 85% de aproveitamento obrigatório nas notas do colégio. Os meninos imitavam o Sassá Mutema e se perguntavam porque nenhuma das nossas professoras eram tão bonitas como a Maitê Proença...KKKKK
Belos tempos.... Belos dias...

well disse...

Concordo Clenio. Eu comprei o disco na época só por causa da capa ( Maitê maravilhosa). Por sorte as músicas eram show! Maitê é linda e musa até hoje, além ser uma pessoa incrível ( pude conhece la depois, e nos tornamos amigos.abraços..... Well Calazans